Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, BUTANTA, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Spanish



Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
Cesar Veneziani em Poesia


Nuance

vida pulsante
vida que vibra
em cada traço
do semblante
em cada nuance
em cada gesto
o riso do ser grato
que elege
valer a pena
cada cena
cada segundo
neste mundo
vida que contagia
quem diria
o cético descrente
vida que dá vida
à pobre vida da gente

(em18/07/2014)



Escrito por Cesar Veneziani às 14h01
[] [envie esta mensagem] [ ]



(Ben)Dito Popular(te)

Antes arte
do que nunca!

(em 27/05/14)



Escrito por Cesar Veneziani às 13h47
[] [envie esta mensagem] [ ]



Inefável

eu tenho um palpite
de como a geração "beat"
fazia poesia

com um "snif" no pó
ou tomando num gole só
a doidera
gera
o verso/vômito
galopar indômito
de imagens e sensações
caleidoscopicamente
na velocidade da luz
da alucinação
da ação
da mente/sonho
randômico
filmessequenciadeslides
a expor vaidades
e mitos
rito xamânico
a evocar o inefável

( em 23/05/2014)



Escrito por Cesar Veneziani às 13h45
[] [envie esta mensagem] [ ]



Fazer Poesia

(a Manoel de Barros)

meu canto é atento
lento alento
do que leio em tudo
grito mudo
que tropeça
em traços e letras
é pena, formão e lira
que ocupa espaços
entre a invenção e a mentira

(em 19/05/14)



Escrito por Cesar Veneziani às 13h45
[] [envie esta mensagem] [ ]



Retina

Opinião alheia
é filtro embaçado,
turvo,
fadado a distorcer a imagem.
Olhe sempre
com sua própria retina.
A vida ensina, 
mesmo que o que veja
seja miragem.

(em 23/04/14)



Escrito por Cesar Veneziani às 13h42
[] [envie esta mensagem] [ ]



Obcessão

Obcecado
por água

era

fã náutico

(em 12/02/14)



Escrito por Cesar Veneziani às 13h27
[] [envie esta mensagem] [ ]



Ecos

ouvindo Múcio Góes
ecoam tiques
de Leminski 
em sua voz

(Cesar Veneziani em 03/12/2013)



Escrito por Cesar Veneziani às 13h15
[] [envie esta mensagem] [ ]



Ícaro

"Le Poète est semblable au prince des nuées 
Qui hante la tempête et se rit de l'archer ;
Exilé sur le sol au milieu des huées,
Ses ailes de géant l'empêchent de marcher."
Charles Baudelaire


O poeta é um ser dotado de magia.
A lavra da palavra é seu ofício.
Constroi estrofes, versos - poesia!
Faz fácil o que pra todos é difícil.

A arte do poeta o torna alado
que voa, leve, a cada verso lido,
porque pra ele nada é censurado,
porque pra ele tudo é permitido.

Mas asas de um poeta são de cera
tal qual as de Ícaro - do Olimpo o deus.
Seus voos vão longe, tanto quanto o queira,
fazendo inveja até ao próprio Zeus!

No entanto se do Sol ele se acerca,
sonho que nele sempre se repete,
será seu triste fim porque, na certa,
a cera que sustenta a asa derrete!

(Cesar Veneziani em 02/12/2013)



Escrito por Cesar Veneziani às 13h10
[] [envie esta mensagem] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]